Sobre Sobre

Notícias

Fique por dentro das notícias, dicas e informações médicas
de Umuarama e Região.

Saiba mais sobre Hemocromatose: a doença que causa excesso de ferro no sangue

Postado em 20/Dez/2021

O ferro é um nutriente essencial para o bom funcionamento do nosso organismo, mas apenas nas quantidades adequadas. Tanto a sua falta como o excesso podem provocar graves problemas para a saúde. 


“Se a carência de ferro é o que leva às anemias, o excesso do nutriente provoca alteração de diversos órgãos”, explica a médica hematologista Dra. Aruana Legnani Mohr (CRM 31164 – RQE 20051). 


A disfunção ganhou visibilidade no começo deste ano, quando o youtuber Felipe Neto foi diagnosticado com Hemocromatose hereditária – transmitida de uma geração a outra.


A Hemocromatose é uma doença genética que se caracteriza pelo aumento da absorção de ferro pelo intestino e o seu acúmulo nos músculos, fígado, pâncreas, articulações e coração provocando danos a esses órgãos e tecidos.

“É uma doença que evolui lentamente, causada por um defeito nos genes C282Y e H63D”

“Além da hemocromatose, o excesso de ferro no corpo também pode aparecer como consequência de outras doenças, grande número de transfusões de sangue, ingestão excessiva de ferro ao longo da vida e alcoolismo”, pondera a médica. 

Alguns dos principais sintomas são: dores nas articulações e abdominal, fadiga, perda de peso, mudança na coloração da pele, perda do desejo sexual, perda de pelo corporal, problemas cardíacos e sintomas relacionados com o início de diabetes. 

Diagnóstico e tratamento


A doença é suspeitada quando os níveis de ferro do corpo  estão aumentados - ferro sérico e ferritina. A partir dai, é solicitado o exame de mutação HFE para avaliar causa genética (hemocromatose) ou causas adquiridas.


A Hemocromatose não tem cura mas tem tratamento. O tratamento é simples, sem risco ao portador e não é caro. Parte do tratamento se dá pela sangria terapêutica, que é o processo de retirada do sangue. “É como doar sangue, mas nesse caso, o sangue é descartado”, esclarece a Dra. Aruana.


Também pode ser necessário o uso de medicamentos quelantes de ferro.

Atenção 

Apenas a ferritina elevada NÃO é igual a sobrecarga de ferro. Para saber a quantidade de ferro do corpo é preciso dosar o ferro sérico e o índice de saturação da transferrina. A ferritina é uma proteína produzida pelo fígado que pode se elevar em casos de inflamações, infecções, esteatose hepática, distúrbio metabólico, entre outros.

Deixar comentário